sábado, 19 de março de 2011

Blogueiro convidado: Raphael Scire e o "gran finale" de "Ti Ti Ti"


Como vocês sabem, esta semana fui convidado pelo blog "Zappiando" para escrever sobre "Ti Ti Ti". Mas o melão não poderia ficar desguarnecido. Por isso, Raphael Scire foi novamente convocado para fazer um balanço final da novela. Abaixo, links para outros textos sobre "Ti Ti Ti". 



A novela das Marias

Por Raphael Scire



Cá estou eu de novo a falar de “Ti ti ti”, versão 2010/2011, que certamente já entrou para o meu rol das melhores novelas. Parece que foi ontem quando, em junho de 2009, entrevistei a autora e ela me disse que faria o remake de duas tramas de Cassiano Gabus Mendes.

A novela acabou e deixou um sentimento de orfandade em quem gosta de uma boa trama. A história de Maria Adelaide Amaral permitiu-se. Permitiu-se a ousadia e a vanguarda, ao mostrar tão abertamente não uma, mas duas relações homossexuais em pleno horário das sete. Permitiu-se a diversão, sem tornar exagerado o tom da comédia. Permitiu-se a nostalgia e o saudosismo, ao fazer inúmeras referências a outras tramas, fossem elas de Cassiano Gabus Mendes ou não.

Um elenco cuja maior característica foi a afinidade, uma direção que primou pela alegria e um texto, bem, o texto é de um primor único. Tudo casou bem, do figurino à cenografia. Marília Carneiro, que trabalho! Fazer moda numa novela que fala sobre moda não é coisa pouca e só mesmo quem entende do riscado poderia fazer um trabalho como este. Marília tirou de letra, como já era esperado. Eu me lembro da empolgação da figurinista quando a entrevistei, na festa de lançamento de “Dalva e Herivelto, uma canção de amor”, produção para a qual também assinou o figurino.

Não posso deixar de destacar o trabalho de Regina Braga. As cenas que tinham o texto mais sofisticado da trama eram com ela, justamente nos momentos em que a lucidez faltava à sua personagem. Impossível não se emocionar. Quando Cecília encontra sua irmã, Julia, o público ganhou de presente um show de atuação. Junto a Nicette Bruno, comoveu e deu credibilidade ao drama de Cecília.

Falar que Murilo Benício teve o melhor papel de sua carreira seria chover no molhado, a crítica e o público já se encarregaram de o fazer. Mas ele merece todo o reconhecimento por seu Ari/Victor Valentim. Alexandre Borges não fez feio, mas Benício levou a melhor. Ah, seu Tatá, conhecido também por Luiz Gustavo, que outrora dera vida a Ari/Victor voltou com tudo. E pediu para ficar.
  
Por último, permito-me aqui dizer que essa foi a novela das Marias. Primeiro a autora, Maria Adelaide Amaral, para cujo talento a gente tem mais é que fazer referência e agradecer ajoelhado e de pés juntos por esse brinde à teledramaturgia. Se antes eu já era fã dela, agora fiquei mais ainda. Depois por outras três Marias que arrasaram na interpretação. Malu Mader, que é Maria de Lourdes, fez uma Suzana que não conseguia esconder o riso nas cenas cômicas e por isso me conquistou – na verdade, Malu poderia fazer qualquer papel que me conquistaria da mesma maneira.  Claudia Raia, que vem a ser Maria Claudia, fez a diversão de todos e de tudo com sua tresloucada, politicamente incorreta e por isso apaixonante Jaqueline Maldonado. Minha vontade era colocar a Jaqueline num potinho e guardar para sempre. Embora Mayana Neiva tenha se destacado, para mim, a grande revelação da novela foi Maria Helena Chira, que fez de sua Camila uma patricinha no tom exato. E tem também a Maria de Médicis, diretora da equipe de Jorge Fernando, que não é Maria, mas é cheio de graça e foi essencial para esse sucesso.

Esse “Ti ti ti”, certamente, merece um remake do remake (ok, isso é hipérbole minha). Já deixa saudades. O último bloco foi a cereja do bolo no último capítulo. Claudia Raia, definitivamente, viveu um de seus melhores momentos na televisão. O discurso final de Jaqueline foi emocionante. Uma novela como essa só poderia acabar desse jeito: em clima 
de festa. Parabéns, Maria Adelaide, e obrigado por oito meses de alegria.
_____________________________________________________________

Leia também:

Meu texto para o Zappiando: "Ti Ti Ti ontem e hoje" -> http://zappiando.wordpress.com/2011/03/18/ti-ti-ti-ontem-e-hoje/


_________________________________________________________

10 comentários:

Walter disse...

Parabéns pelo texto Raphael. Eu adorei a novela, já estou com muitas saudades! Como sempre falei num grupo de discussão que infelizmente acabou: "TiTiTi 2010 não vai ser um ramake, vai ser outra novela com referências de Tititi e Plumas". E assim o foi. Incomodou muita gente querer ver de novo o LeClair do Reginaldo Faria e o Valentim do Luis Gustavo, e que, graças a Deus, não viram. Ramake não é ctrl c + ctrl v. Se assim o fosse seria bem mais barato reprisar a original no VPVN. Como disse o Jorginho Fernando no Video Show, não foi um ultimo capítulo de corre-corre, de resolver tudo na ultima hora, a trama foi se desenrolando de forma harmônica e suave.
Com um elenco maravilhoso, claro que nem todos podiam brilhar ao mesmo tempo e com a mesma grandeza. Além das MARAVILHOSAS Regina Braga, La Raia e Giulia Gam, meu destaque especial para excelentes atores que brilharam em seus momentos, como Maurão Mendonça, Leo Pacheco e Cristiane Torloni. Parabéns aos novos Maria Helena Chira, Sophie Charllote, Juliana Piva, Clara Tiezzi, Rafael Zulu, Josafá Filho, André Arteche e todos os demais. Destaque também para Juliana Alves, que assim como Claudia Raia, construiu a sua própria Clotilde sem ser uma simples imitação da vivida por Tania Alves na primeira versão da novela. Ultima cena maravilhosa! Claudia Raia linda, leve, fofa, maravilhosa!!! Vou parar por aqui senão vai deixar de ser comentário e virar uma monografia, rs. Parabéns à Maria Adelaide e toda a equipe que ressussitaram a telenovela no horário das 19h.

Wesley disse...

Excelente texto, Raphael!
TiTiTi foi uma novela que vai deixar muitas saudades. Na minha opinião o destaque no primeiro terço da novela foi Giulia Gan que centralizou toda a ação do núcleo de Plumas.
Falar da Jaqueline da minha gloriosa Claúdia Raia é chover no molhado. Divina!!!!
Malu Mader, outra diva, nessa novela ficou meio apagadinha, mas percebi que ela estava curtindo estar naquela loucura. Era uma forma de homenagear a primeira versão tbm.
E Luiz Gustavo de Mário Fofoca se passando por Victor Valentim???? Memorável!!!!
Um dos pontos baixos (poucos, aliás) foram os sucessivos flagras de conversas, segredos e beijos. Isso demonstrava um certo primarismo em determinadas tramas, mas tudo bem...
De resto, uma maravilha!!!

Rodrigo disse...

Quem realmente ficou apagada nesse remake foi a Christiane Torloni. E merecidamente!

Ivan disse...

Realmente, ti ti ti, cativou quem tava afim de relaxar, de divertir, foi uma festa pros autores, elenco e direção, na qual o público não ficou de fora !
Parabéns pelo texto! parabéns pro Melão!

Walter de Azevedo disse...

Particularmente, não gostei de Ti Ti Ti, mas reconheço seus méritos e muitos acertos.
Parabéns pelo texto!

ulisses sebrian disse...

Eu concordo com Rafael TiTiTi é uma novela que celebrou, brindou o melhor da vida mesmo pisando em ovos com alguns temas sempre ocultos como a homossexualidade. Que Maria Adelaide soube tratar muito bem com clareza. E Claudia Raia se mostrou melhor do que nunca. Assim como todo o elenco. E com cuidado e sabedoria todos as personagens tiveram o seu tempoe desfechos. Parabéns.

Rodrigo disse...

A principal diferença desse remake de "Ti Ti Ti" para a versão de 1985 é que esse remake se transformou na novela mais gay de todos os tempos.

O jornalista Alberto Pereira Jr definiu muito bem isso, como consta no seguinte link:
http://www1.folha.uol.com.br/multimidia/podcasts/890661-zapping-novela-mais-gay-de-todos-os-tempos-acaba-sem-beijo.shtml

MercadoCom disse...

No blog da MercadoCom leiam o post de Ribamar Filho sobre a novela Morde e Assopea que tem a missão de substituir Tititi. Vejam em: http://mercadocom.blogspot.com/2011/03/tarefa-dificil-para-um-grande-autor.html

Portal Cascudeando disse...

Foi o melhor presente que nós, noveleiros, poderíamos ter recebido. Maria Adelaide Amaral é ótima. Esperava um sucesso, mas não com tanta qualidade. Fiquei impressionado com tudo. E adorei ao ler o que eu também percebi: a Malu Mader rindo nas cenas... Muito bom!
Lucas - www.portalcascudeando.blog.com

TH disse...

TiTi Ti

cumpriu dua função. Fez as pessoas voltarem a sentar à vc no horário das 19h

Concordo com muita coisa que o Raphael disse,apesar de ter perdido o interesse no meio do caminho da trama...

Belo post!

Prefira também: