sábado, 15 de outubro de 2011

Série Memória Afetiva: as melhores amigas da ficção




Dedico “prazamiga”

Estava eu um dia em casa com meus grandes amigos Ivan Gomes, Walter de Azevedo e Wesley Vieira, quando surgiu a ideia. Nem lembro quem comentou primeiro, mas começamos a fazer um brainstorm procurando lembrar daquelas personagens que estão sempre ali pro que der e vier: as melhores amigas das telenovelas. Elas são geralmente chamadas de "personagens-orelha" no jargão técnico. Mas algumas delas são muito mais que isso. A lista é infindável, pois elas estão praticamente em todas as novelas e séries. Por isso, mais uma vez, meu critério vai ser subjetivo. Elas não representam as melhores ou mais inesquecíveis, mas sim aquelas que falam mais alto em minha memória afetiva.



Claro que, quando pensei nesse post, não consegui tirar de minha cabeça duas autênticas representantes desse tipo de personagem, ambas de “O astro”: a funkeira Tânia (vivida brilhantemente por Carolina Chalita), a batalhadora e esfuziante melhor amiga de Lili (Alinne Moraes); e a sensual executiva Beatriz (a linda Guilhermina Guinle), a melhor amiga de Amanda (Carolina Ferraz). Claro que ambas possuem trama própria na novela: Tânia acabou se enrabichando pelo tímido Olavo (Rafael Losso) formando um dos casais mais fofos da novela, enquanto Beatriz, depois de se envolver com Samir (Marco Ricca) e arrastar a asinha pra cima de Herculano (Rodrigo Lombardi), acabou engatando um romance pra lá de caliente com seu “namorado bandido”, Neco. A partir das duas, pra quem também dedico meu post, comecei a me lembrar de outras melhores amigas favoritas. São elas:


10) Jandira (Cristina Galvão em “Insensato Coração - 2011)


Cristina Galvão já tinha vivido uma grande amiga em “Tieta” (1989), quando ajudava Imaculada (Luciana Braga) a se livrar das garras do Coronel Artur da Tapitanga (Ary Fontoura). Anos depois em “Paraíso Tropical”, viveu uma enfermeira camarada que ajudou Paula (Alessandra Negrini) a se livrar das armações de Taís. Mas foi com a companheira de cela de Norma (Gloria Pires) que ela conquistou definitivamente o Brasil e entrou para o rol das amigas mais queridas da ficção, afinal ela esteve com Norma até o fim em suas armações, se mostrando não só uma amiga fiel, mas como a mais confiável das cúmplices. Ótima dobradinha das atrizes e mérito da atriz, sempre doce e carismática. Quando cometer um crime, quero uma Jandira só pra mim.

9) Lenir (Guida Vianna em “Duas Caras” – 2008)


Guida Vianna é outra atriz que está cada vez mais se especializando em ser a melhor amiga, como Isolina, sua atual personagem em “Fina Estampa”, em que é uma das melhores amigas de Griselda (Lilia Cabral) e Wilma (Arlette Salles). Junto com Celeste (Dira Paes), parecem uma versão, digamos, diferenciada de “Sex and the City”. Minha primeira lembrança de Guida Vianna vem do cinema e já nesse papel de melhor amiga: era uma das empregadas amigas de Fausta (Betty Faria) em “Romance da Empregada”, de Bruno Barreto. Tanto que Aguinaldo batizou sua personagem com o mesmo nome da personagem de Betty no filme em “Senhora do Destino”, em que fazia a empregada de Nazaré (Renata Sorrah). Mas a “melhor amiga” mais divertida de sua carreira é a Lenir de “Duas Caras”, que não saía da casa da perua Gioconda (Marília Pêra). De nada adiantava colocar vassoura atrás da porta. Lenir tomava café da manhã, almoçava e jantava na casa da amiga, para o desespero do dono da casa Barreto (Stenio Garcia). Apesar de usar e abusar da hospitalidade da amiga e de não ter o menor semancol, Lenir era uma companhia divertidíssima, sempre com ótimas tiradas e dona dos comentários mais inconvenientes nas piores horas, o que garantiu uns dos melhores momentos da novela. 


8) Eliete (Isabela Garcia em “Celebridade” – 2003)


Era o tipo da amiga que dizia sempre o que pensava, doa a quem doer. Inspirada na camareira ranzinza de Margo Channing (Bette Davis em “A malvada”), Eliete era o anjo da guarda de Maria Clara Diniz (Malu Mader). Mesmo de classes sociais diferentes, as duas tinham muita cumplicidade. Eliete era sacoleira e fazia questão de não aproveitar as vantagens financeiras que poderia ter em ser amiga de Maria Clara. A exemplo do filme, foi a única a perceber que o jeito doce de Laura (Claudia Abreu) escondia uma terrível vilã capaz de tudo para prejudicar Maria Clara. Mas Laura era tão sonsa e dissimulada que conseguiu fazer com que todos pensassem que Eliete estava com ciúmes da amiga. A grande (e impagável) vingança da sacoleira foi quando foi visitar Laura no hospital após esta levar uma surra de Maria Clara. Eliete debochou do fato de Laura ter perdido um dente após a surra e tripudiou o quanto pôde na vilá. Claro que a plateia vibrou e se sentiu vingada também. Curiosidade: Malu Mader e Isabela Garcia também são grandes amigas na vida real.


7) Leopoldina (Beth Goulart em “O primo Basílio” – 1988)

Essa é uma melhor amiga clássica, não só na teledramaturgia, como também na literatura. A “pão e queijo”, como era conhecida por toda a Lisboa, Leopoldina era uma mulher de péssima reputação por trair o marido constantemente com todo tipo de homem. Por isso, a amizade dela com Luisa (Giulia Gam) não era vista com bons olhos pelo marido desta Jorge (Tony Ramos). Mesmo assim, Leopoldina era a mais fiel das amigas e foi cúmplice da traição de Luisa com Basilio (Marcos Paulo) e fez de tudo para tentar livrar a amiga da chantagem de Juliana (Marilia Pera). Mesmo quando Luísa jogou em sua cara a má fama que ela tinha e mesmo rejeitada pela amiga no final de sua vida, Leopoldina foi companheira até o fim. Uma grande personagem de Eça, transposta brilhantemente para a telinha por Gilberto Braga e muitíssimo bem interpretada por Beth Goulart. Uma de minhas personagens favoritas do livro / minissérie.


6) Rosinha (Betty Faria em “Incidente em Antares” – 1994)


Foi uma pequena participação de minha diva, mas um dos melhores momentos da minissérie. Betty brilhou na pele da singela e sofrida prostituta Rosinha, melhor amiga da também prostituta e recém-falecida Erotildes (Marília Pêra) e única a não sentir medo da amiga após sua morte. Betty fez pouquíssimas cenas na minissérie, mas uma bastante tocante foi quando ela maquiou a amiga depois de morta para que ela se juntasse aos outros defuntos que não foram enterrados devido a greve dos coveiros. Em uma cena quase felliniana, Rosinha, após lamentar por todo o seu sofrimento de uma noite em que foi violentada por vários rapazes, faz um pedido final à amiga ao se despedir: “Pede a Deus que me dê uma boa morte, já que ele não me deu uma boa vida”. Um momento breve, mas extremamente sensível e emocionante que contou com uma interpretação visceral de Betty Faria, que soube empregar singeleza, melancolia e intensidade na dose certa. Confesso: uma de minhas cenas favoritas de toda a carreira da atriz.

5) Guiomar (Louise Cardoso em “Força de um desejo” – 1999)


Cortesãs costumam ter amigas fiéis. E no caso da esplendorosa Ester Delamare (Malu Mader), ela tinha mais que uma amiga: um verdadeiro cão de guarda. Com seu jeito irreverente e despachado, Guiomar comprava todas as brigas da amiga, não só na capital, mas também quando se mudaram para o interior. Esperta, gaiata e descolada, Guiomar sempre tinha uma carta na manga para salvar Ester dos apuros e sem papas na língua, sempre dizia os desaforos que o espectador queria ouvir. Vivia às turras com Bartolomeu, mas no fundo era amor recolhido. Protagonizou momentos hilariantes da luxuosa trama de Gilberto Braga e Alcides Nogueira ao dar aulas de boas maneiras para a aspirante a baronesa Bárbara Ventura, brilhantemente interpretada por Denise del Vecchio. Além do grande alívio cômico da trama, Guiomar cumpriu com louvor sua missão de melhor amiga até o fim.

4) Marta (Bia Nunnes em “História de amor” – 1995)

Todas as Helenas de Maneco sempre puderam contar com grandes amigas, mas Marta é minha favorita de todas. Mais que amiga: comadre, cúmplice e grande ombro de Helena (Regina Duarte). Marta gostava tanto da amiga que acabou revelando à mimada Joyce (Carla Marins) que Helena não era sua mãe biológica, pois não suportava mais os maus tratos da filha ingrata. Marta perdeu a amizade de Helena, mas pelo mais nobre dos motivos. Fora isso, também foi um dos grandes destaques da novela ao superar um câncer de mama. A trama foi contada com muita delicadeza e Bia Nunnes conseguiu uma interpretação sensível e marcante. Confira a cena em que Marta, após revelar a Joyce que Helena é, na verdade sua tia, a esbofeteia e lhe diz muitas verdades para defender a amiga Helena. Catarse total!



3) Solineuza (Dira Paes em “A diarista”- 2003/2009)


A “poia”, como era “carinhosamente” chamada pela amiga diarista Marinete (Claudia Rodrigues) foi, aos poucos, crescendo até se tornar o destaque absoluto da série. Burra de dar dó, mas com um grande coração, Solineuza sempre tinha a melhor das intenções e, ao tentar ajudar a amiga, sempre a colocava em grandes enrascadas. Dira Paes deitou e rolou no papel e suas tiradas proporcionavam as maiores risadas da história. Com um jeito atrapalhado e ingênuo, Solineuza nos despertava compaixão, graças à interpretação genial de Dira Paes, que conseguiu um precioso equilíbrio entre o humano e o caricatural. Mesmo aprontando as mais inacreditáveis loucuras, Dira nos fazia acreditar que a personagem estava levando sempre tudo muito a sério. Sem sombra de dúvidas, a singela Soli era o grande motivo de se assistir “A diarista”.


2) Carmosina (Arlette Salles em “Tieta” – 1989)


A sonhadora funcionária dos correios foi um dos melhores papéis da Arlete Salles e entrou para a galeria dos personagens inesquecíveis da novela. Carmosina abria as cartas no bico da chaleira (costume herdado de sua mãe Dona Milu, vivida pela inesquecível Miriam Pires) e, desta forma, conhecia todos os segredos dos moradores da cidade, algo impensável de se colocar em uma novela nos dias de hoje por conta da onda politicamente correta que assola nossa tevê. Solteirona, ou “no caritó”, como se dizia na novela, Carmosina foi a única a oferecer ajuda para Tieta (Claudia Ohana / Betty Faria) quando esta foi expulsa de Santana do Agreste. Quando a cabrita volta à terra natal, as duas retomam a amizade e Carmô se torna sua grande confidente, inclusive sabia dos planos de vingança da amiga e do romance dela com seu sobrinho Ricardo (Cassio Gabus Mendes) e também seu grande segredo: Tieta não era viúva de um comendador, mas sim dona de um famoso bordel. A amizade das duas chegou a ficar abalada quando ela descobriu que Tieta pagou Gladstone para “inaugurá-la”. Mas o amor  e amizade prevaleceram e a ex-invicta terminou feliz ao lado de seu amor e fez as pazes com a grande amiga. Carmosina é uma das personagens que mais me comove. Me fez rir e me fez chorar com cenas magníficas. Essa bate fundo na memória afetiva.

1) Ronalda Cristina (Catarina Abdalla em “Armação Ilimitada” – 1985/88)

Essa é uma das mais autênticas representantes do gênero. Com um apetite voraz, tanto para sanduíches, quanto para homens, Ronalda Cristina era a grande amiga e confidente de Zelda Scott (Andréa Beltrão) e segurava todas as barras e dores de cotovelo da amiga, sempre as voltas com seus amores Juba e Lula (Kadu Moliterno e André di Biase). Ronalda era tão amiga que até batizou com o nome da amiga a filha que teve com um extraterrestre (!): Zeldinha Cristina, um bebê com poderes sobrenaturais. Dentro da proposta deliciosa e revolucionária que era a série, Ronalda funcionava como a cereja do bolo, sempre irreverente e sempre levantando o astral da amiga. Uma gostosura inesquecível. Confesso: formou meu caráter.


_____

Menção honrosa: ZÉ MARIA (Guilherme Piva em "Xica Da Silva" - 1996)
Tá, não foi propriamente uma "melhor amiga", mas teve essa função na deliciosa trama de Adamo Angel, pseudônimo de Walcyr Carrasco na extinta TV Manchete. Zé Maria aguentava todos os desaforos de sua amiga sinhá e foi responsável pelos momentos mais engraçados da novela. 
_____ 

Agora é a sua vez! O melão quer saber: quais suas amigas favoritas da ficção?


18 comentários:

Daniel Pepe disse...

Engraçado que acabei de fazer um texto sobre amizade agora! Se me permite ser transgressor, Vitor, deixo aqui meu complemento:

Poliana (Pedro Paulo Rangel)/Vale Tudo

Julinho (André Arteche)/Ti Ti Ti

Eles fizeram as vezes das melhores amigas, ou não?

O Vitor viu... disse...

Adorei o complemento, Dani!

Walter de Azevedo disse...

Tantas amigas já povoaram as novelas, né? Todas as mostradas no texto são perfeitas! Deixa ver se lembro de mais algumas...
1) Juliana (Maitê Proença) e Vânia (Maria Zilda) em Guerra dos Sexos
2) Jô (Christiane Torloni) e Ivete (Nina de Pádua) em A Gata Comeu
3) Penélope (Eva Wilma) e Leonora (Irene Ravache) em Sassaricando. Amava essa dupla!
4) Clara (Cláudia Abreu) e Yara (Lady Francisco) em Barriga de Aluguel
Enfim, "azamiga" vão estar sempre por aí, seja na vida real ou na dramaturgia.
Posso dizer que achei o máximo a lembrança?? :)

Nilson Xavier disse...

Bem, falando em amigas, não posso deixar de citar certas 7 amigas com quem compartilhei bons momentos por alguns meses em minha pré-adolescência, mas que sempre guardei no coração:

Márcia, Wanda, Natália, Helena, Adriana, Marlene e Carmem.

;)

Eddy Fernandes disse...

Adorei o post, Vitor! Realmente, o que seria das heroínas sem as amigas confidentes do lado? Preparei uma listinha com algumas duplas que me marcaram nas novelas, espia só!

Rubi (Carolina Ferraz) e Lola (Adriana Esteves) em Kubanacan
Nina (Alinne Moraes) e Biga (Thais Garayp) em Como uma Onda
Helena (Vera Fischer) e Ivete (Soraya Ravenle) em Laços de Família
Bel (Mariana Ximenes) e Letícia (Cléo Pires) em Cobras & Lagartos
Helena (Christiane Torloni) e Heloísa (Giulia Gam) em Mulheres Apaixonadas
Eva (Malu Mader) e a dedicada Tia Pérola (Eliane Giardini) que mais tarde revelava ser sua mãe em Eterna Magia
Julieta (Mônica Torres) e Laura (Ana Paula Arósio) em Ciranda de Pedra (2008)
Lisa (Andréa Beltrão) e Carmem (Suzy Rêgo) em A Viagem (1994)
Na mesma novela, ainda as irmãs Estela (Lucinha Lins) e Diná (Christiane Torloni) que tinham uma ligação fortíssima, chegando a intuir uma a presença da outra
E as vingadoras Tatiana (Cristiana Oliveira), Auxiliadora (Elizabeth Savala), Abigail (Betty Lago) e Babalu (Letícia Spiller) em Quatro por Quatro

Por último, menção honrosa para os “amigos” da ficção:
Maneco Dionísio (Antônio Calloni) em Era uma Vez
Júlio (Daniel Dantas) em O Dono do Mundo
Corcoran (Stênio Garcia), o braço direito do herói Jean Pierre (Edson Celulari) em QRSE

Emerson Felipe disse...

Belo post Vitor!! A menção honrosa ao Zé Maria de Xica da Silva foi ótima rs!
Outra grande amizade que me vêm à mente é a de Jezebel (Bete Coelho) em Vamp, super solícita a Natasha (Cláudia Ohana) e ombro amigo nos momentos de desespero da vampira; e também Taís (Letícia Sabatella), amiga de Márcia (Malu Mader) em O Dono do Mundo

Glauce Viviana disse...

Adorei a lista!!! Na minha acrescentaria a Ivete de Laços de Família e tbm complementaria com o Poliana de Vale Tudo kkkkkkkkkk

P.S.: A Marta é o máximo! Adoro ela!!

dani martinez disse...

Adorei as escolas... dou mais um voto a Dina e Estela em A viagem, ao quarteto de Quatro por quatro (lembradas pelo amigo Eddy Fernandes)
Acrescento ai das saudosas 2 primeiras temporadas de Malhação, Luiza (Fernanda rodrigues) e Magali (Daniela Pessoa), Catarina (Lilia Cabral) e Stela (Paula Burlamaqui) em A favorita pra ir amigas em tom de comédia... Sueli (Andrea Beltrão) e Fátima (Fernanda Torres) de Tapas e Beijos. Têm tantas outras, mas são essas que me vieram a cabeça por agora. Grande abraço!

O Vitor viu... disse...

Estou adorando as contribuições de todos. Esclareço que não incluí na lista o as sete amigas de "Elas por elas", o quarteto de "Quatro por Quatro" e a dupla de "Tapas e Beijos" por entender que são todas protagonistas, ou seja, nenhuma delas se encaixa no perfil "personagem-orelha" embora cumpram essa função muitas vezes umas para as outras. Continuem comentando!!!

FABIO DIAS disse...

Acho que as amigas construídas por Maneco são as melhores.
As 3 amigas Helena em Viver a Vida eram ótimas, estilo Sex and the City!

Abs Vitor!
Fábio

www.ocabidefala.com

Ivan disse...

Adorei o texto e ser citado junto com os queridos Walter e Wesley!!!

não me vem um personagem agora, mas sempre curto qdo a Mila Moreira fazia amiga de alguém! qdo penso nesses personagens lembro dela!

Raphael Scire disse...

Eu adorava a Xena (Carmem Verônica) em parceria com a Baby (Gloria Menezes) em "Deus nos acuda"!

apanhadogeral disse...

A Marta de História de Amor, pra mim, é a maior de todas as amigas da ficção. A relação dela com a Helena era essa coisa de porta, que a gente vê principalmente no interior ou em vizinhos antigos de prédio. Era tão gostoso que dava vontade de estar lá.

Phoenix disse...

De todas elas, a que mais me cativou ultimamente foi a Jandira! Cansei de me flagrar verdadeiramente comovido com a lealdade dela para com a Norma! Ela, junto da própria Norma, foi uma das poucas coisas que fez Insensato Coração valer a pena *-*

RÔ_drigo disse...

Adoro as listas do Melão^^
E essa não foi diferente!
E viva a amizade!!

Maurício Ferreira disse...

Adorei ver que a Marta de "História de Amor" entrou na lista, na trama elas (Helena e Marta) faziam questão sempre de frizar a amizade entre as duas dizendo que às vezes contavam até a mesma história repetindo as mesmas palavras, eram mais do que irmãs, eram amigas! O Zé Maria (ou Zé Muié como o Jacobino gostava de falar) também era uma ótima parceria com a Xica da Silva, viviam aos tapas mas se amavam... parece bem eu com as minhas amigas hahahahaha

Rafael Lins disse...

A Marta de História de Amor é praticamente a irmã que Helena não teve. Grande momento para Bia Nunnes.
Lembrei de outros amigos:
Irma Tanajura, amiga de Clara em Fascinação, do SBT.
Deusa, amiga de Ivete, em O Clone.
Creusa, amiga de Carmem, em Carmem (Manchete).
Carmem, amiga de Lisa em A Viagem.
Ciro e Soró em Pão, Pão, Beijo, Beijo.
Pedro, João Marcos, Paschoal "Papagaio" e Xampu em Despedida de Solteiro.
Todos os amigos na minissérie Queridos Amigos.

Edgar Nascimento disse...

Eu achava linda a amizade de Marcia (Malu Mader) e Taís (Letícia Sabatella) em "O Dono do Mundo" (1991). Era gostoso de ver...

Prefira também: